Páginas

25 de set de 2012

Capitulo 11

Quando cheguei a casa,meti a mão no bolso da mochila para tirar o telemovel.Nenhuma chamada,nenhuma mensagem.Quer dizer sim,mas eram da Sofia e do Marcos a perguntar se estava tudo bem..
Mas do Kiko nada.
Onde é que ele andaria?Não o vejo em casa (sim,somos vizinhos),e hoje não tem treino de natação.
Saí á rua preocupada,fui a casa dele perguntar por ele.Os pais disseram que não sabiam dele.Ainda não tinha chegado a casa...Andei a tarde toda á procura dele.Começou a escurecer.
Não tinha hora fixas para chegar a casa,visto que os meus pais chegavam tarde.
Fui até á praia.É o nosso sitio.
Nosso.
Finalmente vi-o, estava em cima das rochas sentado.
-Kiko!-Gritei.
-O que queres Magda?
-Falar contigo.
Ele ainda estava um bocado longe,pelo que decidi ir ter com ele.
-Não venhas,isto é lixado de subir,deixa-te estar aí antes que caias.
Não liguei ao que ele disse e comecei a subir.
Desiquilibrei-me e so o ouço gritar.Desmaiei,a pancada contra as rochas foi um pouco forte...
-Kiko?Que se passa?Kiko?
-Magda!Estás bem?Meu deus,estava tão preocupado contigo!
-Desculpa aquilo que te disse na enfermaria.Eu não te odeio.
-Já passou baby,quando caiste fiquei com tanto medo que tivesses morrido sei la.
-Não te preocupes estúpido,nem me doi a cabeça...
-Podias ter morrido parva
-Secalhar era um favor a muita gente.
-Não digas isso.
-É a verdade.
-Há muita gente que gosta de ti.
-A sério?Quem?
-Eu,por exemplo.Tou perdido de amores por ti...
-Oh,que parvo Kiko.
-Os teus amigos gostam de ti.A tua famí..
-Cala-te!Não te enterres.
-Desculpa.
Ficámos os dois calados durante alguns minutos...Olhei para o telemovel,eram quase 23:00,ainda faltavam 30 minutos para os meus pais chegarem,mas eu queria sair dali rápido..
-Kiko vou-me embora.
-Porque?
Ele olhou para o visor do telemovel.
-Baby,fica,ainda nem são 23:00..
-Vou-me embora,até amanhã.
-Foi alguma coisa que eu disse?

Afastei-me uns metros e respondi-lhe.
-Não,não te preocupes.
Tentei sorrir mas não consegui.Não queria,não tinha forças,sorrir magoava-me.
Comecei a andar,desta vez com a intenção de subir as escadas e ir embora para casa.
O Kiko começou a correr e agarrou-me pelo braço.
-Eh pah larga-me Kiko!Estás-me a magoar.
-Desculpa.Só não quero que te vás embora.Não agora.Nem nunca.Não te quero perder.
Ele agarrou-me na cintura e puxou-me para ele.
-Que estás a fazer,palerma? Deves tar a pensar que sou um dos teus engates.
-Não,não és um dos meus engates.Sabes que já me deixei disso.
Era verdade.Ele há semanas que não tentava nada.
Nesta altura estávamos quase colados um ao outro.Sentia a respiração dele e quase que ouvia o seu coração a bater.
-Larga-me.Deixa-me ir embora Kiko.
-Tu não queres ir embora.Eu sei que não.
-Quero sim,larga-me!
Na verdade ele tinha razão.Eu não sabia o que se estava a passar comigo,no momento pensei que foi porque tinha batido com a cabeça nas rochas,mas não me queria ir embora.
-Eh pah ó miuda,tu sabes que eu faço tudo por ti.Sabes que enfrento os teus pais quantas vezes forem preciso.Sabes que te apoio em tudo.És a pessoa mais especial que eu conheci até hoje.Aquelas miudas todas que engatei,não significaram nada.
Eu estava atónita a olhar para ele.Aquilo não podia estar a acontecer,aquilo era irreal.Ele não podia estar bem.
-Andas-te a beber?
-Eu não bebo,parvinha.
Aquilo estava a ficar esquisito,eu só queria pôr-me dali a andar para fora.
-Pois,Kiko já tiveste o teu momento teatral,deixa-me ir embora.
-Qual teatro qual merda.
-Algum dia me ouviste chamar baby aos meus engates?Já?É so fofa,e boazona..Eu vou-te ajudar com o teu problema.
-Não,mas...Não quero ser ajudada.
-Mas nada.Se tu soubesses o medo com que eu fiquei,quando te vi ali desmaiada.Imagina que tens desmaios por causa do teu problema?
-Eu sei.
-Não,não sabes.Nunca quiseste saber.Nunca chorei por ninguem.Nunca.Nunca cheguei ao ponto de chorar.Mas chorei.E foi por tua causa.
-Está bem.
Ás vezes a minha frieza assusta-me.Digo coisas que não sinto,acabo por fazer coisas que não quero.
-Está bem o que?
-Está bem,já cheguei á conclusão que tu não estás nada bem e que temos que ir embora.
A esta altura ele já se tinha afastado de mim e estava por ali sentado na areia...Sentei-me uns metros afastada dele.
-Andei feito estúpido á procura de estrelas,quando tinha a lua mesmo ao lado.
Isto foi profundo.Nunca ouvi o Kiko dizer isto a alguém.E olhem que ele me conta sempre as frases de engate dele..E ás vezes bem porcas.
Ele aproximou-se outra vez de mim.
-Eu amo-te.
"Eu amo-te"...Essas palavras ainda ecoam na minha cabeça,hoje e aqui,deitada nesta cama,a escrever esta historia,que por acaso é a minha.
Ele inclinou-se em direção a mim,devagar e a dado momento já ambos sentiamos a respiração um do outro e não demorou muito até os nossos lábios se colarem.
Foi sem dúvida o momento mais romântico na minha vida.
Já não vou ter muitos desses..

12 comentários:

MI disse...

Adoro! Está lindo!

GirlOnSmile disse...

Wow :) Obrigada *.*

Anônimo disse...

ta lindo!!!

GirlOnSmile disse...

Obrigado anon *.*

Kátia disse...

Ai amei, aquela frase do Kiko ai *-*

GirlOnSmile disse...

Ahah *.*

Kátia disse...

Linda mesma *-*

Sofia disse...

Ta lindo! Aquela frase da Lua! ;)

GirlOnSmile disse...

Obrigada fofa :)

GirlOnSmile disse...

:)

Nix disse...

Oh, gostei ((:

GirlOnSmile disse...

Obrigada Nix :)