Páginas

21 de mai de 2013

Bem metida!



Muito bem,é deste tipo de pensamento que os jovens precisam.
A resposta do rapaz para a investigadora foi ótima,calou-a logo.

9 comentários:

silvioafonso disse...

.



Amar é bom. Chorar por amor faz bem,
mas viver feliz ao lado de quem se ama,
não tem preço...

Leia hoje, no meu blog.

Ah, estou te seguindo...

silvioafonso






.

somaijum disse...

Vamos ser realistas, tá bem?

É um facto que esses trabalhadores com o salário mínimo não estão no desemprego, o que é muiiiiito bom. Mas estão tão ocupados a tentar sobreviver com 485€, que não têm tempo para empreendedorismos.
Claro que se todos os trabalhadores tivessem as refeições na mesa sem saberem de onde elas caíram, como parece ser o caso do Martin, iam dedicar-se a ser empreendedores e nesse caso o empreendedorismo não chegava para toda a gente.
Resumindo:
Ganhar para comer dá tanto trabalho e consome tanto tempo e energias, que só mesmo quem chega a casa e tem a mesa posta sem desembolsar o cêntimo, é que fica com tempo para ser empreendedor. lool

S* disse...

Gosto de gente que gosta de trabalhar.

Ana Coelho. disse...

Muito bem metida, ahahaha!

Joana Urbano disse...

Isto é (o que eu gosto de chamar) um rapaz a sério!
Sim senhor!

Letícia disse...

Foi bem respondido

segui

Amante Japonesa disse...

e pessoas assim que se quer neste pais (:

Boboquinha disse...

Eu lembro bem da minha juventude. Da capacidade que sentia em conseguir as coisas, na vontade e crença de que seria capaz. E dos entraves e troças que os mais velhos e também alguns colegas fazem dessas ideias.

Devo dizer que estão ERRADOS. É sim, na juventude, que se começa a mudar o mundo. Não é depois, já mais crescido e com menos oportunidades.

E depois temos a HISTÓRIA de sucesso de várias pessoas a indicar que começaram logo CEDO, na adolescência, mesmo antes dos 20 anos a conquistar o seu espaço com as suas IDEIAS.

Eu acredito na força da juventude. Já fui jovem. Não tenho pelo que não acreditar. É uma altura excelente para meter as mãos ao trabalho, arregaçar as mangas, arriscar, ousar e fazer realmente a diferença.

FORÇA aos nossos jovens activos e com ideais, não se deixem espezinhar porque têm a energia necessária e estão na melhor altura das vossas vidas para aprender, arriscar, bater com a cabeça na parede e re-erguer de novo. (os mais velhos têm carreiras a perder e ficam acomodados). Força.

Boboquinha disse...

Tem razão amante Japonesa. Mas este país quer que pessoas assim emigrem. :( :(