Páginas

25 de mar de 2015

Pequenos esclarecimentos sobre Português

Eu devo ter alguma espécie de problema com erros ortográficos (e não estou a falar do Novo Acordo), mas quando vejo um erro ortográfico fico quase em estado de desespero.
Vamos lá esclarecer umas coisas bastante simples. O "á" não se usa fora das palavras (palavras como "Olá"), não há cá coisas como: "Para a semana vou á mercearia." "Fui buscar o carregador á cozinha". Não há nada de "á" fora das palavras. Vamos lá pensar, se não há "á" fora das palavras, usamos o quê nos exemplos (por exemplo) que referi? O "à", sim, o "à". Outro exemplo: " Não me apetece nada ir à escola.".
E agora, uma coisa que eu me farto de ver por este mundo fora é pessoas a usarem o "à" em questões como "À tanto tempo que não sorrio..." em vez de " tanto tempo que não sorrio...", quando tiverem dúvidas façam esta questão "O que é que existe/há?", no caso apresentado é o tempo que existe. Outro exemplo: " Felizmente luar.", o que é que existe? O luar. " ali uma cadeira.", o que é que existe ali? Uma cadeira.
Simples não é? Vá, vamos lá usar isto.

11 de mar de 2015

A questão dos beijinhos



Sobre este estudo aqui, concluí que até tenho algo a dizer sobre isto. A primeira é que há algumas falácias lá, nomeadamente "...refere a existência de vários estudos que demonstram que as crianças que são forçadas a beijar são mais vulneráveis a sofrer abusos sexuais.", que derrapagem, good lord. A segunda é: Eu nunca fui uma criança beijoqueira, não gostava nada quando os meus pais/quem quer que fosse, me obrigavam a dar beijos às pessoas que não conhecia ou até mesmo a pessoas que conhecia e ainda hoje é assim, simplesmente não gosto. Deve ser uma atrofia minha não gostar de dar beijinhos assim à toa, já que o normal é isso. O que me impressiona é a facilidade que as pessoas têm de associar o não gostar de dar beijinhos à má educação/falta de afeto/ter nojo. Tem tudo a ver, agora que penso nisso...Um "Bom dia/Olá/aperto de mão" não chega, temos de saltar logo para os beijinhos para sermos bem vistos. Outra coisa caraterística é haver pessoas que quando eu lá chego para encostar a cara (sim, porque eu vou lá, encosto a cara, não ando a dar beijinhos repenicados) é ficarem com o pescoço meio inclinado à espera que eu lá vá dar um beijo "como deve ser" e ainda o dizerem. O que acontece frequentemente é quase apanharem um torcicolo à espera do beijo que não há-de ir. 
Mas enfim, coisas da vida, não é verdade?

5 de mar de 2015

Sobre o "engate" dos gatos



Parece que os pretendentes das minhas gatas resolveram galá-las a ver quem é que canta melhor. Imaginem 3 gatos (grandes e gordos, já agora) sentados no jardim a miarem alto. Um começa e vai logo outro atrás e mia mais alto, depois é o outro. Daí a nada é uma confusão que parece mesmo que eles estão a discutir a cantar uns com os outros. Haja paciência.