Páginas

30 de jul de 2015

Cara Delevingne e a entrevista polémica


Eu nem costumo comentar este tipo de coisas, mas não sei, algo me puxa para o fazer desta vez. Quem ainda não viu o vídeo que veja, quem já viu pode passar para baixo.
Não vou mentir que não sou uma pessoa que usa e abusa de ironia/sarcasmo, porque sou, não faço de propósito mas a minha personalidade é assim mesmo e não acho que seja um grande problema, pois as pessoas que lidam comigo já sabem disso e quando é para falar a sério, falo.
Provavelmente já estão a adivinhar de que lado "fiquei" a assistir o video. Sim, a Cara deu respostas irónicas mas lá foi respondendo consoante o que pediam. Se fosse ela também não estava ali aos saltinhos com aquelas perguntas excitantes, sabe-se lá o trabalho que ela tem a dar entrevistas repetitivas e como ela disse, estava cansada das andanças da noite anterior, se fosse eu também não estava com cara de quem comeu o arco-íris. E se alguém me mandasse dormir uma sesta ou beber um Red Bull ia correr mal...
 De salientar que ambas as posições (dela e dos entrevistadores) podiam ter sido melhores, ela podia ter-se contido um pouco no sarcasmo e eles poderiam ter sido muito mais profissionais.

28 de jul de 2015

Pessoas que não conseguem viver sem tirar uma foto à comida. Ou duas ou três.



Uma coisa com a qual eu fico sempre "muito admirada" (ou já nem tanto) é estar num café com pessoas e essas pessoas de repente (antes de começarem a comer) sacarem dos telemóveis e meterem-se a fotografar a comida e as outras pessoas a comer. Sim, fotografam-me quando eu estou a comer como se estivesse numa sessão fotográfica e ainda estão à espera que eu me ria a comer, como se tivesse imensa piada. Ainda se fosse uma "comida artística" , daquelas todas cutxi cutxi e que dá mais vontade de olhar do que comer, ainda se compreendia. Mas não, pode-se estar apenas a beber um sumo e a comer uma sandes que já é motivo para fotos.
Haja paciência e bateria no telemóvel.

24 de jul de 2015

O aprender a conduzir...Ou quase.


Tentei meter o carro da minha mãe na garagem e isto tem uma espécie de rampa, sendo que no fim da rampa há um muro a uns 5 metros, com 2 aulas de condução lá faço o que me ensinaram, pé na embraiagem, mudança na 1ª, destravo o carro e claro que o carro foi para trás (uns centímetros), a mulher assustou-se toda que quase lhe saltaram as órbitas, eu meto o pé no travão claro está, nem me deu tempo para encontrar o ponto de embraiagem e começar a acelerar, mandou-me logo sair do carro arrependidíssima de ter acedido ao meu pedido. 
Eu até gosto de ter aulas de condução, é esquisito pegar no carro, mas lá se faz...Meter o carro a andar é fácil, guiar pelas ruas e assim (praticamente é só ajustar o volante e ir metendo mudanças, nesta fase inicial), o que eu acho complicado para já é fazer os pontos de embraiagem "rápido"...Já me tinham avisado quanto a isto, por acaso.
E vocês, já sabem/andam a aprender a conduzir? Gostam? O que acharam mais difícil?

21 de jul de 2015

Repetições


Sou só eu que ando fartinha de ouvir uma coisa parecida a "As candidaturas ao Ensino Superior arrancaram esta segunda-feira."? Hoje ouvi isto umas 5 vezes.
 Coisas que eu ando muito a ouvir:
-Então, para que curso queres ir?
-Ah...Queres ir para o desemprego então...Provavelmente nem vais ter vida nessa área...
-Queres ser advogada é?
-Não tens média para mais nada? Tipo Engenharias, Medicina, Enfermagem ou assim? Olha que esses cursos dão saída!
-Já te candidataste?
-Vais-te candidatar para a que tem a média mais alta? Olha que a que tem a média mais alta é a melhor!

3 de jul de 2015

Adeus Wareztuga


Hoje é um dia triste. Não porque morreu alguém ou algo assim, mas porque um dos "melhores amigos para ver séries/filmes" de muita gente acabou hoje...Foi uma decisão tomada pelos coordenadores do site, como podem ver pela explicação que eles deram. Vou sentir a falta disto, saber que tinha os meus filmes agendados há meses e meses para ver, os favoritos, as séries que queria ver, as séries que já vi...
É de louvar o empenho de toda a equipa...
Até sempre, Wareztuga!