Páginas

26 de ago de 2015

O Respeito


Ensinam-nos desde pequenos que devemos sempre respeitar os outros, no matter what. Respeitar as suas crenças, religiões, ideais de vida, orientação sexual, opções, etc. Ou deviam ensinar-nos isso. Mas o que é que fazemos quando não o somos? Ninguém nos diz o que fazer quando damos pelas pessoas a não exercer a reciprocidade do respeito. O que esperar de alguém que apregoa falsos valores morais? O que fazer quando alguém faz comentários ordinários sobre o quão a homossexualidade é horrível e um pecado, que as pessoas de cor não têm direito a opinião nem o direito a ter cargos notáveis na sociedade, que as mulheres têm de se subjugar aos homens porque são seres inferiores e que quem não acredita em divindades não passa de um mero animal? E quando se ouvem coisas como estas de pessoas que vão religiosamente à missa todos os domingos, rezam com um ar compenetrado e devoto, e ai de alguém que ouse dizer que não acredite em Deus, porque passa da categoria de ser humano decente para escória?
Surpreendentemente,  o facto de não acreditar em algo transcendente não me impede de ter valores morais, nunca impediu e não é agora que vai começar. 
Damn right it won't.

14 de ago de 2015

Os falsos bons samaritanos


Vocês conhecem aquele tipo de pessoa que oferece ajuda mas não quer realmente ajudar? Já me passaram pelos olhos situações do género de alguém ir a casa de outra pessoa, oferecerem-lhe comida e quem ofereceu passado um pouco da pessoa se ir embora vai comentar com outras sobre a quantidade de comida que essa pessoa comeu e o quanto gastou do que tinha. 
Surreal? Sim, um pouco, se não quer dar porque oferece? Mas sim, acontece.

8 de ago de 2015

Je vais bien, ne t'en fais pas

Hoje vi um filme que estava no meu computador há um ano e pouco, confesso que só peguei nele hoje porque não tinha rigorosamente mais nada de interessante para fazer e porque desde que o Wareztuga acabou, a minha caça de filmes/séries baseia-se em seguir séries que sei que andam a sair agora (que é só uma, para mim) e em pesquisar atores/atrizes que gosto para ver os filmes. 
Mas adiante, hoje vi o filme que referi no título. É francês e antes que digam "bahhh francês é uma seca...", oh well, sim, maior parte dos filmes franceses têm muitos tempos mortos mas este surpreendeu-me pela positiva. Muito rapidamente e sem querer tirar a piada ao filme: Este filme trata de uma rapariga que chega a casa de uma viagem e percebe que o irmão gémeo "desapareceu", os pais contam-lhe que ele fugiu de casa por causa de uma discussão com o pai e o filme vai andando de volta disto, das quebras dela, da vontade de o encontrar...O que mais me surpreendeu foram os minutos finais, sem dúvida.
Vocês já viram? Gostaram?