Páginas

20 de dez de 2016

Alice

https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/I/51r3BCXKnnL._SX329_BO1,204,203,200_.jpg
Li 2 livros quando era mais novinha, talvez aí com uns 13 ou 14, que me suscitaram interesse. Não foram os únicos, claro, mas aqueles tinham interesse porque a protagonista era praticamente da minha idade e até tínhamos alguns pensamentos parecidos. No outro dia, estava na cama, quase a dormir e lembrei-me disso, e fui procurar na net, para ver se haviam mais ou não. E haviam...Imensos! Decidi ler o último, pois a história continuava desde que ela tinha 18, até ter 60. E se me identifiquei com certas coisas, também fiquei nostálgica. Ler o livro foi como se estivesse a ler uma possibilidade da minha futura vida. Fazer o curso, trabalhar, casar, ter filhos, envelhecer, ver os amigos a envelhecer também, ter netos, ver as pessoas que conheço morrer. But, believe me, agarrei-me tanto à personagem que me fez uma impressão enorme ela crescer tanto, interiormente e na idade,e vê-la a relatar a vida dela com 60 anos, foi algo que me afetou. Fez-me ver que hoje somos novos, amanhã já não, que o tempo passa e não espera, quer tenhamos aproveitado ou não a vida. Emocionei-me umas 3x durante o livro, algo que acho que nunca me tinha acontecido com um livro. Ainda bem que a autora não relatou como é que ela faleceu, senão sim, tinha sido um pranto. Há personagens e personagens,umas que nem fazem sombra, outras que ficam. 
Há um filme sobre um dos livros, o primeiro. É giro, mas nada bate os livros.

2 comentários:

Lápis Roído disse...

A vida, se seguir o curso que devemos assumir como normal, passa por todas essas fases. Da juventude, onde tudo é exuberância, à velhice, onde a monotonia tende a reinar. O ser humano tem uma capacidade infinita de adaptar-se às circunstâncias ;)

Green disse...

Fiquei curiosa para ler :)